A inteligência emocional em crianças e jovens

A inteligência emocional em crianças e jovens

Emi Emi 06 jun 2022

Você quer que suas crianças e jovens se desenvolvam de maneira saudável e equilibrada, não é mesmo? Para isso, é essencial que eles saibam identificar seus sentimentos e dominem as capacidades de relacionamento com outras pessoas.

A habilidade de lidar com suas emoções e com o outro de forma saudável é chamada de inteligência emocional. É importante que as crianças e jovens sejam estimulados ao convívio em sociedade, respeitando sua saúde mental.

Nesse sentido, nós, do Tudo Educação, separamos para você as principais informações e dicas sobre o desenvolvimento da inteligência emocional. Se interessou por esse conceito que é aplicado na infância e tem impacto na vida inteira? Então vem com a gente!

Vá direto ao tópico de seu interesse:

A inteligência emocional em crianças e jovens
A inteligência emocional em crianças e jovens

O que é a inteligência emocional?

A inteligência emocional é o conceito da psicologia aplicado para definir a capacidade do indivíduo de lidar com suas emoções. Algumas das práticas presentes ao exercer a inteligência emocional são: diálogo, equilíbrio e respeito.

Assim, a inteligência emocional pode ser estimulada desde a infância e desenvolvida na juventude, de acordo com as mudanças ocasionadas pelo crescimento. Também é importante que o ambiente educacional saiba incentivar o convívio saudável e a compreensão das emoções.

Inteligência emocional infantil

A inteligência emocional infantil consiste em, desde a infância, reconhecer as próprias emoções sem reprimi-las e respeitar as emoções alheias. Dessa forma, seus filhos desenvolvem, através de uma educação positiva (*LINKAR O TEXTO DE EDUCAÇÃO POSITIVA DEPOIS DE POSTADO), as habilidades de convívio, diálogo, carinho e empatia.

É importante também, junto ao incentivo à inteligência emocional, a compreensão de como seu filho se desenvolve emocionalmente. Abaixo, as fases de evolução emocional infantil:

  • Do nascimento ao primeiro semestre: o bebê começa a conhecer o mundo e se comunica por linguagem corporal, como o riso;
  • Dos 6 meses a 1 ano: o bebê começa a perceber outras pessoas e a si mesmo e reagir com estranheza;
  • De 1 a 4 anos: a criança consolida suas relações familiares e a comunicação verbal se inicia;
  • De 4 a 7 anos: a partir de então, a criança consolida relações externas à família e passa a exercitar a imaginação.

Como as mudanças no psicológico da criança acontecem de forma rápida e definem suas maneiras de sentir, é importante auxiliá-la nesse processo. Quando as crianças têm acesso a seus sentimentos e sabem como lidar umas com as outras, o processo fica mais fácil.

Inteligência emocional no ambiente de ensino

Bem como a família deve estimular a inteligência emocional, os ambientes de ensino devem auxiliar as crianças nessa trajetória. De acordo com recursos pedagógicos, como dinâmicas, jogos e leituras, por exemplo, os profissionais da educação devem incentivar o entendimento das emoções e o respeito.

Sendo assim, ao conviver com seus coleguinhas, as crianças aprendem a se colocar no lugar umas das outras e ajudar quando preciso. Elas também criam um senso de emoção, responsabilidade e coletividade.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Auxiliar no desenvolvimento da inteligência emocional pode ser uma tarefa intrigante, entretanto, atualmente existem diversos recursos que podem auxiliar. Abaixo, alguns dos valores a serem incentivados nesse processo:

Empatia

Ao estimular seus filhos a reconhecerem as emoções de outras crianças, eles entendem que não estão sozinhos e aprendem a ajudar os outros. Logo, se relacionam em paz e com abertura para trocas.

É importante valorizar as diferenças e estimular as amizades, para que ninguém seja excluído e todos sejam aceitos sempre.

Socialização

Partindo da empatia, vale criar a habilidade de socialização. Conhecendo seus sentimentos e sabendo lidar com sentimentos de outras pessoas, as crianças se comportam bem em coletivo.

É na infância que se criam capacidades a serem desenvolvidas na juventude e na maioridade. Isso porque um bom convívio é solicitado durante a vida toda.

Autoconsciência

A base da inteligência emocional é saber identificar o que se está sentindo e como trabalhar esses sentimentos. Em casa, vale incentivar o diálogo e equilíbrio, explicando a importância de cada emoção.

Já no ambiente educacional, atividades como leituras de histórias, representações de teatros e desenhos podem auxiliar. Existem também filmes e desenhos animados que mostram a importância de sentir e expressar suas emoções, como o filme Divertida Mente.

Aceitação das emoções

Além de saber como se sentir e se expressar, também é preciso aceitar suas emoções como naturais. Quando uma criança entende o motivo de sentir cada emoção, quando se torna jovem já sabe moldar suas ações a partir disso.

Aqui se ensina também a necessidade de agir com sabedoria em sociedade e de saber as consequências de suas atitudes.

Em suma, a inteligência emocional deve ser incentivada às crianças para prepará-las para seu desenvolvimento e aos jovens para sua trajetória complexa. Logo, ela estimula a maturidade, o respeito e o convívio saudável com outras pessoas.

Além disso, vale sempre recorrer a um profissional da psicologia, tanto para adultos quanto para crianças. No tratamento individualizado, cada um aprende a respeitar seus sentimentos e lidar com suas demandas e necessidades.

E você, vai incentivar a inteligência emocional em seus filhos e trabalhar esse conceito em si mesmo? Se interessou por esse tema? Então, fique por aqui! No Tudo Educação você encontra mais explicações e dicas sobre esse e outros temas relacionados.

Fique por dentro

Receba as novidades no seu e-mail.

icone newsletter
banner lateral

Encontre o plano ideal para você.

Veja os planos